Nove coisas a serem conhecidas antes de embarcar em uma transformação de cadeia de suprimentos digital

Texto por Laura Sanders, JDA

É um novo mundo digital. Como uma organização adapta-se a esta realidade determinará se ela prospera – ou simplesmente sobrevive – neste ambiente conectado digitalmente. Na JDA, usamos o termo “digital” para se referir a três tendências principais: 1) “coisas” físicas que incorporam tecnologia informática; 2) dados externos externos facilmente disponíveis, incluindo mídias sociais, notícias, eventos e clima (SNEW); e 3) sistemas informáticos e software tornando-se cada vez mais em tempo real e inteligentes.

A cadeia de suprimentos digital, que alavanca essas tendências para planejar e oferecer produtos e serviços personalizados, é a próxima fase da evolução do gerenciamento moderno da cadeia de suprimentos. Tem o poder de transformar as empresas – permitindo-lhes aumentar a velocidade ao mercado, criar experiências superiores de clientes e estabelecer vantagem competitiva.

À medida que as empresas consideram como e onde aplicar as tecnologias digitais em suas operações de cadeia de suprimentos, as seguintes são nove coisas a ter em mente.

#1: Usar o poder dos dados

Os dados são a nova moeda da cadeia de suprimentos. No entanto, as empresas precisam ser capazes de expor, organizar e analisar esses dados antes que eles possam ganhar valor com isso. Esta tarefa é mais desafiadora do que parece, dada a incrível quantidade de dados criados a partir de fontes on-line e Internet das coisas (IoT). De fato, a pesquisa de mercado mais recente estima que, até 2020, haverá entre 20 bilhões e 30 bilhões de dispositivos conectados, resultando em trilhões de pontos de dados.

As organizações têm acesso a muitos tipos de dados, incluindo dados estruturados (como taxas de frete ou classificações de clientes) e dados não estruturados (como comentários de clientes ou postagens de redes sociais). Embora esses fluxos de dados forneçam informações úteis, é o processo de conectar essas várias fontes para obter informações sobre negócios onde o valor real é obtido. Uma área que se beneficiou desses insights é a logística. Os avanços tecnológicos dos provedores de soluções avançadas agora podem sobrepor os planos de transporte com dados de tempo e tráfego em tempo real para prever atrasos na entrega e recomendar novas rotas de transporte, garantindo o melhor serviço ao cliente possível.

#2: Otimizar a cadeia de suprimentos de ponta a ponta

O sucesso no mundo digital de hoje depende da capacidade de uma empresa conectar-se o que está acontecendo na primeira e última milha da cadeia de suprimentos. Uma parte crítica deste processo é projetar produtos que atendam às preferências de compra dos consumidores. Para fazer isso, as organizações devem entender o que seus clientes irão comprar, como eles querem que suas ordens sejam cumpridas e, potencialmente, como elas vão querer retornar os itens.

Para atender as expectativas dos clientes da maneira mais lucrativa, as empresas devem projetar suas cadeias de suprimentos de ponta a ponta com base em como esses produtos serão comprados. Isso inclui a tomada de decisões de rede estratégicas sobre a localização de ativos físicos, como fábricas, centros de distribuição e lojas, onde posicionar estoque e mão-de-obra entre os vários nós da cadeia de suprimentos e como lidar com a distribuição, especialmente quando as expectativas dos compradores aumentarem as opções de entrega de produtos.

Com o crescente volume de dados agora disponível, as empresas têm novas oportunidades para aproveitar os sinais de dados digitais para otimizar suas cadeias de suprimentos de ponta a ponta. Alguns tipos de dados da cadeia de suprimentos que as empresas agora podem acessar incluem ponto de venda, IoT, SNEW, atributos do produto e respostas dos clientes, e as empresas precisam ser capazes de limpar, agrupar e agregar esses dados. Os algoritmos de aprendizagem de máquina também podem ser usados ​​para conectar essas fontes de dados e miná-las para obter informações e recomendações.

#3 Empregar uma estratégia de segmentação da cadeia de suprimentos

A volatilidade da demanda aumentou rapidamente à medida que as empresas hoje atendem mercados cada vez mais diversos em uma economia global em rápida evolução. Compreender como a demanda do cliente está mudando e criando proposições de valor atraentes – como preço, opções de entrega, etc. – para esses clientes está se tornando uma necessidade de crescimento lucrativo.

As empresas podem alavancar dados, tais como transações de vendas, dados sociais, tamanho da cesta e dados demográficos para agrupar clientes em conjunto com base em semelhanças em preferências, padrões de compra, etc. Com esses segmentos de clientes em mente, eles podem projetar diferentes produtos, ofertas de nível de serviço e estratégias de suporte da cadeia de suprimentos. Ao empregar estratégias de segmentação da cadeia de suprimentos, as empresas são mais capazes de equilibrar o custo para servir cada segmento de clientes com o valor que o segmento entrega ao negócio.

No entanto, para desenvolver uma estratégia eficaz de segmentação da cadeia de suprimentos, transparência e colaboração entre todas as partes da cadeia de suprimentos – incluindo fabricantes, empresas de logística e varejistas – é o ponto principal. As estratégias de segmentação afetarão todos os aspectos da cadeia de suprimentos, influenciando as decisões de capacidade de uma empresa, estratégias de produção, planos de pessoal e estratégias de sortimento e satisfação.

#4 Visualizar o futuro do planejamento da cadeia de suprimentos

Avançar para uma cadeia de suprimentos digital afetará a forma como as empresas lidam com o planejamento da cadeia de suprimentos no futuro. Os fabricantes estão apenas começando a aproveitar a enorme quantidade de dados gerados diariamente na cadeia de suprimentos. O futuro da fabricação provavelmente incluirá tecnologias digitais, como robótica avançada, aprendizado de máquinas, impressão em 3D, análises preventivas e colheita de dados.

Os principais fabricantes já começaram a dirigir em direção a este futuro estado, habilitando digitalmente um ambiente de planejamento sempre online. O planejamento sempre online permite às empresas entender melhor e responder a eventos de cadeia de suprimentos em tempo real. Essas atualizações em tempo real podem vir de uma grande variedade de fontes, como sensores em equipamentos de planta, alertas de torre de controle digital, dados SNEW e muito mais. Com as capacidades de planejamento sempre atualizadas, os planejadores podem aproveitar o planejamento de cenários, se for, para explorar trade-offs entre várias opções, capacitando-os a tomar decisões efetivas e rentáveis ​​que alinhem com a estratégia corporativa.

Ao sincronizar insumos em processos de demanda e fornecimento, as empresas podem gerar latência fora da cadeia de suprimentos. Além disso, as análises preditivas e prescritivas em tempo real permitem às empresas desenvolverem proativamente estratégias de mitigação de risco, que podem então ser desencadeadas quando ocorrem eventos não planejados.

#5 Visualizar o futuro da execução da cadeia de suprimentos

À medida que as empresas se movem em direção a uma cadeia de fornecimento digital, as capacidades de planejamento sempre necessárias precisarão ser integradas com as funções de execução da cadeia de suprimentos, tais como armazenagem e logística. O futuro do armazenamento será definido pela otimização inteligente de tarefas, recursos, equipamentos e infra-estrutura, resultando em maior eficiência de custos e maior produção. As tecnologias digitais permitirão visibilidade contínua em insumos, como perfis de pedidos, prazos de entrega, disponibilidade e colocação de inventário, desempenho de funcionários e máquinas e mais, gerando melhorias contínuas.

Uma parte significativa do armazém do futuro será a automação de manipulação de máquinas e a robótica avançada para controlar tarefas como armazenamento de estoque, movimento e classificação. A força de trabalho futura do armazém será jovens tecnólogos. Eles irão esperar soluções de tecnologia fáceis de usar com recursos como realidade aumentada, comandos de voz de linguagem natural e muito mais. Todos os sistemas auxiliares dentro do armazém do futuro precisarão ser conectados para facilitar as atualizações e a resolução em tempo real.

Na logística, as atualizações de dados em tempo real, como padrões climáticos, padrões de navegação, eventos e congestionamentos de portas, podem ser combinadas para ilustrar o estado atual dos bens em trânsito. À medida que os dados em tempo real sobre as condições do trânsito ou o tempo são transmitidos, as análises preditivas podem ser usadas para atualizar rotas e evitar atrasos na entrega do produto. No futuro, esse nível de visibilidade preditiva pode ser alavancado para encurtar as estimativas de entrega para horas, reduzir a necessidade de estoque de buffer no downstream e permitir que as empresas reorientem o estoque quando necessário.

#6 Visualizar o futuro do varejo

O papel da loja vem evoluindo desde o advento do comércio eletrônico. Uma escassez de mão-de-obra projetada, combinada com as preferências de compras do consumidor da próxima geração, influenciará dramaticamente o futuro do varejo. Esses compradores experientes em tecnologia não diferenciam entre a loja digital e física de um varejista e, como tal, os varejistas precisam estar preparados para fundir a loja digital e a loja física em uma experiência perfeita.

No futuro, o digital será o primeiro passo da experiência de compra. Pesquisas on-line, classificações sociais e feedback dos consumidores influenciarão as seleções de mercadorias dos consumidores. Os perfis on-line serão comunicados à loja, garantindo uma grande experiência personalizada. Este perfil digital precisará ser transposto rapidamente em vários sistemas, incluindo o comércio eletrônico, o gerenciamento de relacionamento com o cliente, a força de trabalho, a tarefa e os sistemas IoT. Os sistemas analíticos serão utilizados para reunir, analisar e assimilar informações relevantes a um nível de granularidade personalizado e de compras, a fim de aprimorar todas as fases da viagem de compras. A experiência na loja será uma combinação de associados humanos, associados virtuais remotos, quiosques de autoatendimento e outras tecnologias de experiência virtual. As compras digitais, bem como opções flexíveis de entrega e devolução programadas on-line e gerenciadas pelo revendedor, serão necessárias capacidades.

#7: Estabelecer um plano de cadeia de fornecimento digital

A transição para uma cadeia de fornecimento digital já está em andamento, e as empresas precisam planejar agora a forma como elas adaptarão suas operações da cadeia de suprimentos para se manterem competitivas. Como parte deste processo de planejamento, as organizações devem definir suas estratégias digitais. Isso significa determinar como as tecnologias digitais podem ser alavancadas para gerar valor financeiro – como um retorno sobre ativos, retorno sobre capital investido ou lucro – para uma organização. Além disso, as empresas precisam identificar o objetivo de sua estratégia digital – seja a melhor experiência do cliente, o aumento da participação no mercado, etc. – e como suas pessoas, capital e ativos precisarão ser alinhados para executar esta estratégia digital.

Como parte deste processo, é importante que a estratégia digital alinhe e suporte a estratégia corporativa global da organização. Além disso, a estratégia da cadeia de suprimentos digital deve ser exclusiva do modelo de negócios de uma empresa, do quadro competitivo e da indústria a que serve. A implementação dessas estratégias digitais exigirá uma estratégia de aplicativos que inclua visibilidade em toda a empresa através de um painel de controle digital centralizado habilitado por uma torre de controle digital, recursos de modelagem de cadeia de suprimentos para suporte de tomada de decisão rápida e recursos de gerenciamento de resposta.

#8: Defender e apoiar a estratégia digital  

Tenha em mente que definir uma estratégia digital, no entanto, não garante o sucesso. Tal como acontece com a maioria dos empreendimentos em toda a empresa, o sucesso é determinado pelos indivíduos dentro de uma organização que defendem e executam a estratégia. Como esse mundo digitalmente conectado impacta todo o negócio – desde o redesenho dos processos da cadeia de suprimentos da empresa até a mudança dos produtos e serviços que oferece – é fundamental que essa iniciativa seja adotada pela equipe executiva de uma empresa.

Recentemente, as principais empresas contrataram funcionários oficiais principais ou oficiais de analise de chefe para dirigir as estratégias digitais de suas organizações. Esses novos líderes digitais então trabalham com equipes ou centros de excelência para identificar áreas do negócio onde as tecnologias digitais podem gerar valor. Esta abordagem ajuda a garantir que a estratégia digital seja apoiada e defendida em toda a organização. É fundamental que essas equipes incluam funções como marketing, comércio eletrônico e cadeia de suprimentos, pois essas áreas de negócios geralmente implementam estratégias digitais de forma independente. Como resultado, as oportunidades para gerar valor adicional ou enfrentar desafios futuros geralmente são perdidas.

Além de obter apoio da equipe executiva, as empresas e seus funcionários serão obrigados a adotar novas competências, como a ciência dos dados. Conforme mencionado anteriormente, o processamento de dados e capacidades de alavancagem, como análises preditivas e prescritivas e aprendizagem em máquina, permitirão que as empresas gerem benefícios em todos os aspectos das operações da cadeia de suprimentos, além de serem usadas para diferenciação competitiva.

#9: Entrar em ação agora

Quando se trata de planejar uma transformação da cadeia de suprimentos digital, a opção mais arriscada é a inação. A interrupção digital está afetando as empresas em todas as indústrias, então não espere para começar. Comece a concentrar-se na coleta de dados em sua cadeia de suprimentos de ponta a ponta e comece a criar uma força de trabalho digital, conectada e progressiva. Passe o tempo para educar a alta administração sobre o que é real, o que é viável e o que precisa ser feito. As empresas que abraçam esta nova realidade digital e começam a atualizar suas estratégias de cadeia de suprimentos agora serão as que prosperam no futuro.

No Comments

Be the first to start a conversation

Leave a Comment